Bon_jour_Mademoiselle_by_iumazarkO Vale Jornal entrevistou o professor e ilustrador Gabriel Iumazark, de São José dos Campos (1981). Dono de um talento artístico incomparável, Gabriel faz parte da nova safra de ilustradores profissionais no mercado publicitário e editorial. Seu estilo tem se moldado naturalmente em algo mais underground, com base em arte oriental e design e boa parte de suas obras, são carregadas de arquétipos femininos de forte sensibilidade. Gabriel faz uso de lápis e técnicas digitais que impressionam e enchem os olhos de quem consegue captar a manifestação artística deste gênio da ilustração.

VJ: O que a arte representa na sua vida?
GI: É como um alimento diário. Na expressão existe algo incrível; anfíbio, que contar com ambos “estados de espirito” (bem e ruim) para ser alguém mais entendido de si mesmo, assim como até auxiliar à genialidade interior, é realmente um fato singular da vida de alguém, o verdadeiro alimento da alma.

VJ: Quando foi que você começou a se dedicar a arte? Você fez algum curso?
GI: É algo muito comum iniciar desde criança, mas me aprofundei mesmo aos 13/14, quando houve um maior interesse no sentido acadêmico da arte e ilustração. Mais a frente ganhei bolsa em uma escola de arte e logo após em outra escola de ilustração e quadrinhos.

VJ: Que gênero de arte mais lhe agrada na atualidade? Há alguém que você julga representá-lo bem?
GI: Eu sou realmente eclético, essa pergunta é realmente difícil responder, será que” quase tudo” responde? (rs) Mas tenho uma simpatia de longa data pelo minimalismo, é um dos seguimentos artísticos que mais me da euforia.

VJ: De suas ilustrações, qual você acredita ser a melhor tecnicamente? Existe alguma específica que você gosta mais?
GI: Eu gosto bastante de uma peça titulada ” Ebela Blank” e outra que tenho um carinho ainda mais especial chamada ” Fem – Simplesmente Deslumbrante”, a qual consegui mostrar mais do que deveria com o mínimo de informação.

VJ: Você teve o apoio de sua família, amigos e colegas de trabalho?
GI: Minha família foi o maior apoio. Quando se é criança, as vezes tu não sabe como pedir o que quer fazer, eles sempre deixavam a casa cheia de lápis e papéis, pra quando eu quisesse desenhar os pegasse. Ter essa opção livre com certeza foi crucial.

VJ: Você estuda suas obras antes de começá-las? Conte-nos seu processo de criação.
GI: Raramente, acho que o estudo comigo vem mais no processo.

VJ: Você acredita em incentivos culturais do Governo? Já ouviu falar sobre o Bolsa Artista? O que você acha deste projeto?
GL: Não conheço. Incentivo é sempre bom, alguns projetos podem mesmo ajudar ou pelo menos guiar.

VJ: Gabriel Iumazark por Gabriel Iumazark
GI: Viciado em café e em dormir.

VJ: Espaço reservado ao Gabriel Iumazark. Fique à vontade para deixar um recado para quem lê sua entrevista?
GI: Algumas pessoas ainda não fazem muito questão de entender o conceito geral da “Arte”, e erroneamente só a associam a atividades gráfico expressivas, conceituais e modulares. Não entendem que Arte é tudo. Um artista é alguém que instiga seja onde e o que for, é alguém que semeia expectativa que for a algo ou no que faz. O simples fato de se fazer existir como um grande ser.

Acesse a Galeria de Gabriel Iumazark no devianART – http://iumazark.deviantart.com/gallery/

O Vale Jornal é um observatório e filtro de notícias com apoio editorial da EditoradoVale.com.br, Vale Publicar, Vale Shimbun e Vale Startup. Referência em Jornalismo Colaborativo pela Revista Imprensa.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.