20 de janeiro – Dia Nacional do Fusca

Fusca azul | 20 de janeiro - Dia Nacional do Fusca

Carro mais popular e querido do país, o Volkswagen Fusca é parte da história do Brasil. O modelo é tão simbólico que ganhou um dia comemorativo só para ele: em 20 de janeiro, comemora-se o Dia Nacional do Fusca. A data escolhida marca o início da produção nacional do mais conhecido modelo da montadora alemã no país.

Segundo Ismael Paim, da Unibras Mais Proteção Veicular, a comemoração ocorre em várias cidades brasileiras, e em alguns lugares acontece durante toda a semana, indo além do dia em si. “Em alguns locais, outras marcas símbolos da montadora, como a Kombi e o VW 1500, fazem parte da festa”, lembra ele.

Origem do Dia do Fusca

Ter uma data só sua não é para qualquer carro: é preciso ter carisma suficiente para isso. O caso do Fusca é tão especial que ele não tem apenas uma data, mas duas. Em 20 de janeiro é o dia nacional, mas há também um Dia Internacional do Fusca, celebrado em 22 de julho.

As datas foram criadas em períodos diferentes e cada uma tem a sua própria história. A nacional foi criada em 1989 por sua montadora, quando completou-se 30 anos do início da produção do Fusca na fábrica de Anchieta, em São Paulo. Já a data internacional tem um viés ainda mais histórico, pois marca a data em que Ferdinand Porsche e a Associação Nacional da Indústria Automobilística Alemã assinaram o acordo para o desenvolvimento do Volkswagen Fusca, ou o “Carro do Povo”. Isso era o ano de 1934.

A História do Fusca

O Fusca já nasceu com o objetivo de ser popular. E, embora a Alemanha já tivesse uma indústria automotiva de destaque desde a década 20, era um dos países menos motorizados da Europa, pois seus carros eram de luxo e destinados a uma pequena parte da população.

Com isso, era preciso criar um carro de baixo custo, capaz de fazer com que os alemães substituíssem as motocicletas. Para atender a essa demanda, Ferdinand Porsche criou projetos protótipos e, em 1933, o então chanceler alemão Adolf Hitler comprou a ideia de Posrche de produzir um “carro do povo”, impondo-lhe apenas que o novo modelo fosse barato, capaz de transportar quatro pessoas e que fizesse pelo menos 13 quilômetros com um litro de gasolina.

A produção comercial do Fusca teve início no final de 1947. O Fusca passou a ser vendido para outros países e ganhou o mundo. Até o ano de 2003, quando o último Fusca saiu de sua linha de montagem, na cidade de Puebla, no México, já havia mais de 21 milhões de unidade vendidas em todo o mundo.

O Fusca no Brasil

Chegada do Fusca no Brasil

No Brasil, o ilustre Fusca consagrou a sua propensão de ser um carro popular. Chegou por aqui ainda importado em 1950, mas três anos mais tarde ganhou sua fábrica na cidade de São Paulo, onde a Volkswagen instalou a sua primeira unidade de produção, possibilitando a produção doméstica. Mais tarde, a fábrica depois foi transferida para São Bernardo do Campo.

Desde 1959, quando teve a sua primeira produção nacional, foram produzidos cerca de 3,3 milhões de unidades por aqui. Isso representa 16% de toda a produção mundial. O Fusca parou de ser fabricado no Brasil em 1986, porém, em 1993, a pedido do então Presidente da República Itamar Franco, o carro voltou a ser produzido até 1996. Nesse período, seu motor era movido apenas a etanol, uma exigência para que ele fosse produzido na época.

O legado do Fusca, seja no Brasil ou no mundo, é muito maior do que a paixão por qualquer outro carro. O fato é que ele merece todas as comemorações, por ter marcado não uma, mas muitas gerações, e por fazer parte definitiva da história automobilística mundial.

Pin It